.

.

sábado, 11 de setembro de 2010

Pegador em 'Ti ti ti', Caio Castro é considerado herdeiro de Zé Mayer

O título de garanhão das novelas, até então ostentado com vigor e maestria pelo veterano José Mayer, já tem um herdeiro moreno, de sorriso arrebatador e corpo perfeito. Aos 21 anos, Caio Castro, o Edgar de “Ti ti ti”, é alvo da disputa de três mulherões. Se na ficção ele mexe com os hormônios femininos, nas ruas são os homens que abordam o ator. E não é de maneira carinhosa...

— Os homens me xingam, me chamam de canalha! Não querem que eu maltrate tanto a Camila (a noiva patricinha, de Maria Helena Chira). Fiquei surpreso, porque achava que a opinião dos homens seria “Valeu, pegador!” — conta Caio, que depois de três anos como o Bruno de “Malhação” agora encara seu primeiro papel adulto: — Edgar é mais maduro do que eu, pensa em família. Ainda estou numa fase garoto. Quero casar e ter filhos, mas não penso nisso agora.

Desde que entrou para a TV por meio do concurso “Casal Malhação”, promovido pelo “Caldeirão do Huck” em 2007, o paulistano assumiu apenas um curto namoro em 2008 com seu par romântico na trama, Sophie Charlotte (que também está no elenco de “Ti ti ti”, mas, hoje, namora o ator Malvino Salvador). Desde então, se declara solteiro:

— Não sei dizer se é falta de tempo ou se não encontrei a pessoa certa.


Numa tarde ensolarada de terça-feira, Caio deixa seu flat, em frente à Praia do Pepê, na Barra, e os gritinhos começam. Duas meninas que passam mexem com o rapaz, que não se faz de rogado e dá uma olhada daquelas para uma delas, enquanto faz pose para fotos. Apesar de toda a pinta de galã, Caio diz que não faz a linha “galinha”.

— Não sou pegador. Já me apaixonei, mas minha vida está boa assim. Tenho uma família que me ama, tenho um trabalho, estou construindo um futuro. No momento, não sinto falta de ter alguém — explica o rapaz, que deu o primeiro beijo aos 7 anos numa colega de classe: — Ela é minha amiga até hoje.

Caio pode estar sozinho na vida real, mas anda muito bem acompanhado na televisão. Depois de um beijão daqueles, com direito a cenário deslumbrante, o frio Edgar vai assumir sua paixão por Marcela (Isis Valverde), o que não vai deixar nada satisfeita sua noiva Camila e menos ainda a amante Luísa (Guilhermina Guinle).

— Acabo gravando muito mais, porque estou no núcleo das três. Para mim é uma troca de experiências bem interessante, já que cada uma tem uma idade: a $tem 23, a Maria Helena, 27, e a Guilhermina, 36 — analisa Caio.

Eleito muso da novela numa enquete recente do EXTRA, e queridinho pelas telespectadoras em pesquisa feita para a novela, o moreno comemora o bom momento profissional.

— Quando recebi o personagem, fiquei receoso. Deus sabe que estou me matando para fazer bem, fico megafeliz que o Edgar esteja sendo elogiado — diz o ator, que tem uma rotina de gravação de pelo menos 20 cenas diárias.

E foi por pouco que Caio não deixou toda sua beleza e talento escondidos atrás de um computador. Antes de tentar o concurso para “Malhação”, o então adolescente de 17 anos tinha uma rotina comum: escola, trabalho com o pai e curso de analista de sistema.

— Nem sei por quê me inscrevi no concurso. Vi o comercial na televisão e senti que era para mandar a foto — lembra Caio: — Era meio danadinho nessa fase da vida. Fazia sucesso no colégio, nunca estava sozinho, sempre tinha um rolinho...


A tão propagada violência carioca fez o menino do bairro de Jabaquara, em São Paulo, ficar com medo de encarar a Cidade Maravilhosa sozinho. Durou pouco. Foi só sentir a brisa do mar na porta de casa que tudo mudou:

— Não tem como não se acostumar com o Rio. Antes, para pegar onda, tinha que viajar até o litoral paulista, agora é um pulo — comemora ele, que gosta de reggae e até já ostentou uma cabeleira rastafári: — Foram quase cinco anos deixando o cabelo crescer. Raspei com 16 anos e aí deixei os cachos.

Não é apenas o surfe que deixa o corpo de 1,75m e 79kg do rapazinho sarado. Ele malha disciplinadamente todos os dias, mesmo a contragosto.

— Comecei a malhar porque me achava muito franguinho. Acho um saco, sou do tipo que briga com a balança para não emagrecer. Preferia entrar numa máquina para moldar o corpo — diz o fã de comida japonesa.

Com o sucesso em “Malhação”, vieram também os inúmeros convites para ser príncipe em bailes de debutantes por todo o país. Hoje, paralelamente a “Ti ti ti”, os eventos continuam ocupando os fins de semana de Caio, só que mais diversificados: ele desfila, vira mestre de cerimônia e faz campanhas publicitárias. Tudo isso ajuda a deixar o “moleque”, como ele mesmo se define, independente financeiramente, apesar de bastante jovem.

— Já me mantenho sozinho. Não sou gastador, mas não passo vontade — explica o rapaz, que tem apenas um vício: — Sou colecionador de tênis. Uma vez, deu uma louca, gastei uma grana, quase R$ 2 mil, num modelo exclusivo que eu queria muito e achei sem querer numa viagem aos Estados Unidos.

Vaidoso, Caio também tem um piercieng no nariz e quatro tatuagens espalhadas pelo corpo: um dragão do horóscopo chinês nas costas, um sol com uma onda junto das iniciais da mãe, do pai e da avó no pé, o nome “Enzo” (homenagem ao irmão de 3 anos) no braço e uma flecha indígena, que indica proteção para vida inteira, também no pé. Quando questionado sobre sua beleza, Caio responde com um sorriso provocador: “Eu gosto”. Mas diz que falta muito para deixar de ser um menino:

— Falta vontade de virar homem. Não penso muito no futuro. Me preocupo em viver o hoje.

Mesmo sem querer abreviar a maturidade, Caio Castro Castanheira vislumbra o amanhã:

— Boto fé que vou fazer um filme de ação em Hollywood.

Assista ao video da Entrevista.

0 comentários:

Postar um comentário