.

.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Mão aberta, Caio Castro paga noitadas e viagens para os amigos e se emociona em poder realizar os sonhos das pessoas.


Aos 24 anos, Caio Castro é um jovem bem sucedido. Feliz na sua profissão, o ator é hoje um dos galãs mais requisitados do momento. Dez entre dez mocinhas sonham com o charme (e o corpitcho!) do doutor Michel de “Amor à vida”. Dono de um apartamento em São Paulo, outro no Rio, um sítio em Ibiúna (SP) e um restaurante na capital paulista, Caio também sabe bem aproveitar sua condição de novo rico. Ele tem três carros de luxo (incluindo o importado Dodge Journey, avaliado em mais de R$ 100 mil) e uma coleção de mais de 200 tênis. Mas o que ele mais gosta mesmo é de gastar seu dinheiro com os amigos. O ator costuma pagar noitadas, viagens e ainda colabora financeiramente com os mais próximos.
Um dos melhores amigos de Caio é Anderson Valsoni, de 24 anos. Dé, como é chamado, é apresentado por Caio como seu irmão. Os dois se conhecem desde que nasceram: suas avós são vizinhas há mais de 60 anos.

 — Quando a gente tinha 10 anos, dizia que ainda ia morar na praia. Quando ele se mudou para o Rio, me chamou para ir com ele. Foi a realização de um sonho — reconhece Dé.

O rapaz, que diz até que ficou parecido fisicamemte com o amigo, já viajou algumas vezes com Caio e sou muitos tênis do ator.


 — Ele é viciado em tênis desde novo. Eu pegava os dele, mas ele só percebia quando a gente já estava na rua! O Caio reclamava, e eu falava que não ia tirar, não. Mas escreve aí que ele também usou muito tênis meu quando não tinha essa coleção toda — brinca.

Ao relembrar as histórias vividas com a família e os amigos, Caio se emociona e fica com a voz embargada:

— Minha maior felicidade é proporcionar essas coisas aos meus amigos, realizar os sonhos deles. Eu não tenho com o que gastar se não for com eles. No carnaval, consegui levar 18 amigos para Salvador. Eles se amarraram. Poder fazer isso não tem preço.

 Xodó da vovó 

Por causa das cenas tórridas de Michel, o sedutor médico de “Amor à vida”, Caio Castro está na crista da onda e todo mundo quer levar o ator para casa. Mas uma senhora em particular é a dona do coração de Caio. É dona Isaura, a avó paterna do bonitão, que é o xodó do neto. Foi com ela que Caio viveu dos 3 aos 18 anos num apartamento de um quarto em São Paulo. Como os pais trabalhavam muito em São Bernardo do Campo, o menino foi morar com a avó, a quem considera a pessoa mais importante de sua vida.

— O Caio era muito sapeca, desarrumava tudo, fazia bagunça, mas nunca me respondeu. E olha que eu ligava toda hora para saber onde ele estava

— lembra dona Isaura, que tem 78 anos. Sempre que Caio aparece na sua casa, é uma festa.

— Outro dia, ele foi comigo ao Carrefour me ajudar a fazer compras e foi uma loucura. O mercado parou e eu falei para ele atender às pessoas. Tive que me virar sozinha mesmo

— diverte-se ela, que recebe pedidos para conhecerem o novo galã da Globo:

— Tem amiga que me liga de longe pedindo para eu avisar quando o Caio vier aqui. Quando ele vem me ver, aparece um monte de gente na minha porta.


 Dona Isaura garante que o neto faz sucesso com as meninas muito antes da fama.

 — Era só o Caio chegar da escola e esse telefone não parava de tocar. Ele ficava horas de papo com as meninas. Mas o pior mesmo foi quando elas começaram a ligar a cobrar. Reclamei muito. Era só o que me faltava, né? Ficar pagando ligação das garotas!

— relembra ela, às gargalhadas. Ela só para de rir para contar, com emoção, o quanto Caio pede para ela não trabalhar mais:

— Não quero viver às custas do meu neto. Ele me ajuda sempre, me deu uma TV bacana, me enche de presentes. Faltava um dinheiro para eu conseguir minha aposentadoria e ele resolveu, pagou o que precisava. O Caio é um menino de ouro. Todo mundo gosta dele: dos mais velhos às crianças. É que ainda hoje dona Isaura trabalha como manicure. Por causa da idade, ela só vai à casa das clientes que moram perto de sua casa ou recebe as antigas em sua casa.

— Quando Caio morava comigo, ele ia junto na casa das minhas clientes e ficava bonitinho. Não me dava trabalho, não. De tanto me ver fazer unha, ele começou a querer fazer também. No início, era a maior farra de criança, mas depois ele começou a ver que ficava mais bonito. Só eu faço a unha do Caio — fala a vovó orgulhosa, que morre de saudade do convívio com o neto famoso:

— Sei que a vida dele é corrida, que quando vem a São Paulo tem que ver muita gente, mas sinto muita falta dele. Só eu sei o quanto chorei quando ele foi para o Rio. Mas sei que ele continua o mesmo menino que vivia aqui. Tenho muito orgulho do homem que ele se tornou.

Fonte : Canal Extra 
Reportagem de Carla Bittencourt

4 comentários:

Nossa que lindo me emocionei. Que bom que ele não perdeu a humildade com a família e amigos também, reconhece as raízes. Agora vou dizer, Dona Isaura a senhora já deu muito ao Caio e se hoje ele que lhe retribuir não custa nada. A senhora é uma guerreira e chegou a hora de relaxar.

fãs vc lindooooooooooooooooooo

Imagino ele assim mesmo AMO O CAIO ESPERO UM DIA CONHECE-LO

Noossa que depoimento mais emocionante!! É muito lindo ver as pessoas falando bem do meu ídolo,principalmente quando é da família dele! Meu sonho de encontra-lo ainda não foi realizado,mas em breve tenho certeza que vou consegui, e nesse dia,acho que eu desabarei de tanto chorar... o acompanho desde o inicio.. Choro quando ele está triste,sorrio quando ele está sorrindo.. Amo esse sorriso contagiante e apaixonante que ele tem!! Não tem um dia que eu não entre no blog,nos sites de fofoca só pra sabe as últimas noticias dele! Mas essa declaração da Dona Isaura foi linda demais!! Ele é um anjo que ajuda e dar luz na vida de quem ele passa! Tenho muito orgulho de ser fã dele!!

Postar um comentário