.

.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Caio Castro diz que chorou ao viver judoca no filme 'A Grande Vitória'


O elenco do filme “A grande vitória”, estrelado por Caio Castro e Sabrina Sato, participou nesta segunda-feira (5) de uma entrevista coletiva em São Paulo. Além da dupla, que faz o par romântico central da trama, estão presentes o diretor estreante Stefano Capuzzi Lapietra, os atores Suzana Pires, Moacyr Franco, Tato Gabus Mendes e Felipe Folgosi e o lutador de jiu-jitsu e judô Max Trombini. É na história de Trombini, vivido no longa por Caio Castro, que se baseia “A grande vitória”. A estreia está prevista para esta quinta-feira (8). O filme começa com infância “humilde e conturbada” do futuro esportista.

Abandonado pelo pai (Domingos Montagner), o menino foi criado pela mãe (Suzana Pires) e pelo avô (Moacyr Franco), que morreu quando tinha 11 anos. Revoltado, Max passou a se envolver em diversas confusões em sua cidade natal, Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. Ao aprender judô, ele conseguiu se estabelecer emocionalmente e ter uma carreira.


Logo no princípio da coletiva, em um hotel de São Paulo, o diretor do longa foi perguntado por que escolheu Caio Castro e Sabrina para o elenco. Lembrou-se, então, que Caio "ficou apaixonado pela história" logo que soube qual seria a trama, destacando que "rolou uma ligação muito forte entre" o ator e Max Trombini. E, antes, que o cineasta pudesse explicar as razões que o levaram a convocar Sabrina, ela mesma brincou: "Só porque eu sou japonesa". Em seguida, o diretor acabou concordando, ao menos em parte, com Sabrina: "O personagem da Sabrina tinha de ser alguém que visse o mundo de uma maneira leve, alegre. E tinha de ser oriental, então ninguém melhor do que a própria".

"A Grande Vitória" é a estreia no cinema de Lapietra, de 26 anos. O hoje diretor já foi estagiário da produtora O2, do cineasta Fernando Meirelles (de filmes como "Cidade de Deus", "Ensaio sobre a Cegueira" e "Jardineiro Fiel").

Vivendo com o personagem 

"Eu tive duas opções. Ou interpretava um judoca ou eu vivia a vida de um campeão. E, desde o princípio, o Max me perguntou se eu sabia alguma coisa de judô e eu era judoca desde os meus sete anos. Eu dispensei coach [técnico] na preparação, por opção. Eu precisava do Max", contou Caio Castro.


O ator afirmou que, no filme, procurou ser "uma ferramenta que o Max iria usar para expressar toda a história de vida dele". "Minha preparação foi o tempo. Foi o trabalho com o Max de noite, de viajar com os filhos dele, ele ia jantar na casa da mãe dele de domingo e eu estava lá, o tempo inteiro eu estava observando. Sem querer, a coisa foi absorvendo, eu fui absorvendo a pessoa que ele é, o jeito, a maneira de lidar com outras pessoas, até pequenas coisas, tempo de fala, respiração. A gente teve a certeza de que a gente estava pronto, quando, depois de mais ou menos uns dois meses e meio, eu fui visitar a mãe do Max, conhecer a casa. E a mãe dele chegou pra ele e falou: 'Por que o menino fala igual você, hein?' Na hora, a lágrima tomou conta do rosto da gente."

Sabrina Sato também falou sobre o seu papel no filme. "Para aceitar um desafio desse [fazer um papel dramático], você tem de confiar, e eu confiei muito no Stefano [diretor]. Justamente por ser um papel que não era uma comédia, não tinha nada a ver com o que eu já tinha feito", explica durante o evento. "O Caio foi muito generoso. Na primeira cena em que fui fazer com ele, eu estava morrendo de vergonha, falei assim: 'Meu nome é Sabrina' [e não o nome da personagem]", afirmou ela, rindo bastante. "Para eu me concentrar, demorou muito. Eu tive de ficar lá me concentrando horas, pra chegar lá e falar errado (risos)". Sabrina ainda contou detalhes da produção do longa. "Todo mundo foi muito generoso, acho que me entreguei bastante, não tanto quanto o Caio, que foi morar com o Max [Trombini], dois meses juntos, ficaram tipo irmão, pai e filho, sei lá a relação dos dois (risos). Conversei com a esposa dele [do Max] no Facebook, conversei bastante com o Max".


A atriz ainda falou sobre os beijos com Caio Castro. "A gente treinou bastante todas as cenas, principalmente dos beijos, né?, Caio." Ela também comentou sobre sua pouca experiência como atriz. "Eu sempre amei cinema, sempre assisti a muitos filmes. Lembro de ter assistido 'Meu pé de laranja lima', 'Minha vida de cachorro', que o menino fazia xixi na cama e eu me identificava muito (risos).
Claro que eu não sou uma atriz, mas me entreguei, assim, bastantão. Como todos eles. E me senti muito segura, com o Caio, com o Stefano, por isso que eu topei. Recebi outros convites, esses tempos atrás, só que não dá tempo de eu fazer, de me entregar pra aceitar fazer outros filmes. Mais pra frente, se eu puder me dedicar, me entregar, claro que eu quero." Sem ser perguntada, Suzana Pires, que no filme interpreta Tereza, a mãe do personagem de Caio Castro, afirmou que gostaria de comentar uma "dificuldade" que teve durante as filmagens.
Neste momento, Castro interrompeu: "A minha dificuldade foi ser mãe dele, porque a gente vinha de uma relação... Não, eu não fiquei com ele! Mas, de repente, eu ia ser mãe do meu brother de zoação no Projac. Eu falei isso pra ele: 'Eu estou com essa dificuldade de te olhar como filho, porque a gente passa mal de rir junto'". Ela afirmou, no entanto, que superou o problema: "Ele virou o meu filho, e eu fui virando sua mãe, né? Fora do set".

A vida de Max Trombini já foi contada na autobiografia “Aprendiz de samurai – Uma história real” (Editora Evora), lançada em 2010. Nascido em maio de 1968 no litoral norte de São Paulo, ele pratica artes marciais há 30 anos. De acordo com a editora do livro, ele “é reconhecido como um dos maiores especialistas e estrategistas em luta de solo” do Brasil e atua na equipe técnica da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).



 Confira o Trailer do filme:

Fonte: http://g1.globo.com/

2 comentários:

EU AMEI O FILME E PUDE VER O BELO DESEMPENHO DO CAIO CASTRO NO CINEMA .NUMA BELA HISTÓRIA DE GARRA E SUPERAÇÂO .PENA QUE NO HORÁRIO QUE EU FUI ESTAVA BEM VAZIO ACHO QUE AS PESSOAS GOSTAM DE ASSISTIR FILMES DE VIOLÊNCIA SEXO E COM MUITOS PALAVRÔES .MAS TODOS ESTÂO DE PARABÉNS A HISTÓRIA É LINDA E BEM FAMILIAR .O CAIO SE EMOCIONOU MUITO E NOS EMOCIONOU A SENSIBILIDADE DO CAIO É TREMENDA SENTI QUE ELE CHOROU DE VERDADE .O MAXI TROMBINI NOS DEU UMA LIÇÂO DE AMOR E RESPONSABILIDADE E NÂO ABANDONOU A MÂE DO FILHO DELE COMO FOI ABANDONADO POR SEU PAI .E POR ISSO SUA CARREIRA DE JUDOCA É UM SUCESSO

eu te amo caio demais mesmo vc eh tudo pra mim

Postar um comentário